Se você tem uma pessoa idosa em casa, com certeza sabe que elas precisam de um cuidado mais específico, uma vez que estão mais suscetíveis a alguns problemas.

Dentro desse contexto, pode ser que queira saber qual o melhor estimulante de apetite para idosos, em especial se eles afirmam não sentir fome.

A falta de apetite é um problema que tem diferentes motivos para acometer o idoso, podendo ser desde o estresse até algum outro mais sério.

Mas, ainda que você saia desse artigo sabendo qual o melhor estimulante de apetite para idosos, tenha em mente que isso não substitui a orientação de um profissional.

Afinal de contas, ainda que um desses estimulantes possam ajudar no apetite do idoso, talvez a raiz do problema permaneça.

Por isso, o melhor que se pode fazer é justamente procurar um médico, para que possa indicar a melhor maneira de tratar o problema.

Além do mais, tenha em mente que a automedicação pode ocasionar em sérios problemas para a saúde, ainda mais para os idosos.

Dito isso, confira abaixo qual o melhor estimulante de apetite para idosos!

Qual o melhor estimulante de apetite para idosos?

Existem vários estimulantes de apetite confira alguns deles
Existem vários estimulantes de apetite confira alguns deles

Hoje em dia, há várias opções de estimulantes de apetite para idosos, mas é importante ficar atento à composição de cada um deles, para ter a certeza de que são seguros.

Mas, dentre as melhores opções de estimulantes que são seguros e capazes de resolver esse problema, podemos citar os seguintes:

1. Acetato de megestrol

O Megestrol é um medicamento muito comum de se usar em casos em que o paciente precisa perder muito peso.

Nesse caso, na grande maioria das vezes, o remédio tem ligação com problemas um pouco mais sérios, como AIDS, anorexia nervosa ou até devido ao efeito colateral de algum tratamento medicamentoso.

Mas, como se trata de um remédio derivado do hormônio progesterona, ele também pode ajudar a abrir o apetite da pessoa idosa.

2. Ciproeptadina

Esse medicamento também é capaz de estimular o apetite em pessoas idosas, fazendo com que elas sintam vontade de aumentar a ingestão de calorias.

Mas, além disso, a ciproeptadina também serve como um medicamento antialérgico, o qual é muito comum para amenizar sintomas como coriza e obstrução nasal.

O remédio ainda é capaz de tratar problemas alérgicos, como é o caso da rinite.

3. Suplemento de vitamina B 

O suplemento de vitamina B também é um dos compostos que podem ajudar a fazer com que o idosos recupere o seu apetite.

As vitaminas do complexo B em si não atuam de forma direta na fome, tampouco na ingestão de alimentos.

No entanto, a deficiência dessa vitamina pode sim fazer com que o idosos passe a ter menos apetite. Então, a reposição pode ajudar a controlar o problema.

Porém, a dica é você ir consultar o médico, para que ele possa identificar se há mesmo a deficiência vitamínica.

4. Suplemento de zinco 

Diversos estudos também já mostraram que a falta de zinco pode interferir na falta de apetite do idoso. Mas, nesse caso, o motivo é um pouco diferente.

O zinco tem direta ligação na forma com que o idoso sente o gosto do alimento. Ou seja, o idoso pode começar a sentir um sabor diferente.

Por consequência, pode contribuir para o baixo apetite, já que o idoso não terá o mesmo prazer ao se alimentar como antes.

Em vista disso, o suplemento de zinco pode sim ser capaz de fazer com que o idoso possa restaurar o seu apetite normal.

PROMOÇÃO
Nutrends Revigoran Zinco Quelato 60 Cáps
  • 29,59 mg de Zinco Quelato
  • 1 cápsula ao dia
  • Fácil de ingerir
  • Funcionamento do sistema imune

5. Profol

Na verdade, esse é um medicamento composto por buclizina, triptofano, lisina e vitaminas B6 e B12, sendo bem completo.

Esse remédio é capaz de agir estimulando o apetite do idoso, ao mesmo tempo que suplementa vitaminas que tem ligação com o baixo apetite.

A lisina é um aminoácido essencial para produzir uma série de proteínas para o nosso corpo, sendo especialmente importante na absorção do cálcio.

Fora isso, o aminoácido também pode ajudar na construção da proteína dos músculos e na recuperação de algumas cirurgias esportivas.

No caso do triptofano, ele também é um aminoácido essencial, já que ele ajuda a produzir a serotonina no cérebro.

E a falta de serotonina no cérebro pode ser uma das causas da depressão que, indiretamente, também influencia a diminuir o apetite.

6. Cobavital (xarope e comprimidos)

Esse já é um ótimo composto para tratar problemas que tem relação com o crescimento, má nutrição e magreza.

Mas, além de aumentar o apetite em idosos, a cobamamida, que também está presente na formulação, é capaz de agir como anabolizante leve.

Entretanto, diferente de outras substâncias desse mesmo tipo, ele não induz efeitos colaterais típicos, tais como:

  • Pseudo-hermafroditismo;
  • Ginecomastia;
  • Virilização;
  • Queda de cabelo;
  • Diminuição nos níveis de testosterona etc.

Esse é um dos estimulantes de apetite mais conhecidos para ganhar peso, é qual é manipulado pela mistura de duas substâncias:

  1. Cloridrato de Ciproeptadina;
  2. Cobamamida.

Uma das funções é o fato de ser capaz de melhorar a síntese de proteína no corpo, bem como aumentar a eficácia do metabolismo proteico hepático que, por consequência, estimula o apetite.

7. Beritin

Esse é um outro medicamento composto por ciproeptadina. A diferença fica pelo fato de que também possui vitamina em sua composição.

Em vista disso, trata-se de uma ótima escolha para os casos de falta de apetite associada a algumas deficiências nutricionais.

8. Buclina

A buclina, cujo principal componente é o cloridrato de buclizina, é muito conhecido pelo fato de estimular o apetite e diminuir vômito e náuseas.

Mas, para que isso possa acontecer da forma correta, é vital seguir todas as recomendações médicas, e não fazer a automedicação.

A buclina também tem efeito orexígeno, isto é, estimula a fome e ainda é anti-histamínico.

Inclusive, medicamentos que possuem, em sua composição, o efeito anti-histamínico, costumam ser a primeira escolha dos médicos para estimular a fome em pessoas desnutridas.

Outra função bem interessante da buclina é o fato de também ser capaz de agir como hipoglicemiante, removendo o açúcar do sangue do organismo.

Todos esses efeitos contribuem para estimular o apetite no idoso, muitas vezes fazendo até que tenha uma fome maior que a habitual.

9. Cobactin

Outro medicamento bem utilizado pelas pessoas que têm mais dificuldade de ganhar peso, já que o seu grande efeito é justamente estimular o apetite.

10. Forten

O Forten é muito conhecido e indicado como um tônico energizante e reconstituinte, o qual é capaz de ajudar no estímulo do apetite.

É uma substância produzida em laboratório muito conhecida como poliaminoácido, na verdade, sendo que seu intuito é normalizar o funcionamento do metabolismo.

A partir de então, é possível sim que o idoso ganhe peso, já que ele é capaz de estimular o apetite. Então, aos que querem saber qual o melhor estimulante de apetite para idosos, com certeza essa é uma boa escolha.

Mas, caso o idoso tenha uremia, insuficiência hepática ou renal, torna-se ainda mais importante passar por um médico antes de começar a tomar o medicamento.

11. Apetil

Esse estimulante tem um efeito hipoglicemiante, isto é, ele ajuda a aumentar a produção de insulina do corpo.

Por consequência, irá diminuir a concentração de açúcar no sangue, fazendo com que o cérebro indique ao corpo que precisa de mais comida.

É um estimulante bem parecido com a buclina, uma vez que, em sua composição, também possui o dicloridrato de buclizina.

Em relação aos efeitos colaterais do apetil, podemos citar os seguintes:

  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Irritação;
  • Dor de cabeça;
  • Secura na boca.

12. Carnabol

Na verdade esse é um composto de polivitamínicos e minerais, sendo que o seu principal objetivo tem relação com o tratamento ou prevenção de deficiência nutricional.

E, sabendo que o nosso corpo precisa de vitaminas e minerais para se manter em perfeito funcionamento, não há como negar que ele é capaz de ajudar idosos a estimular o apetite.

O mais adequado é tomar um comprimido cerca de meia hora antes das principais refeições.

13. Postafen

O principal ativo do Postafen é o dicloridrato de buclizina, que é um ótimo estimulante de apetite, ótimo para reverter quadros de magreza e falta de apetite.

O produto também é capaz de tratar alergias na pele ou respiratórias, gastrointestinais e, ainda contra, enjoos em viagens.

No entanto, devido às suas propriedades sedativas da substância, ela acaba gerando mais sono que o habitual. Por isso, é melhor fazer o seu uso durante à noite.

Perguntas frequentes

As perguntas mais frequentes sobre qual o melhor estimulante de apetite para idosos, são as seguintes:

Qual remédio para abrir apetite de idoso?

Todos os remédios para apetite precisam de acompanhamento médico!
Todos os remédios para apetite precisam de acompanhamento médico!

Todos eles precisam de um suporte médico, a fim de indicar a melhor forma de tomar. Mas os principais são os seguintes:

  • Canabidiol;
  • Mirtazapina;
  • Dicloridrato de buclizina;
  • Cloridrato de ciproeptadina.

O que fazer quando o idoso não quer mais comer?

Algumas ações que podem contribuir para aumentar estimular o apetite, são os seguintes:

  1. Varie o cardápio;
  2. Crie uma rotina;
  3. Ofereça snacks saudáveis;
  4. Invista em refeições líquidas;
  5. Faça as refeições em boa companhia;
  6. Mantenha o idoso hidratado;
  7. Estimule a atividade física.

Caso nenhum desses resolva para devolver o apetite ao idoso, então é melhor procurar um médico para que ele possa fazer as devidas investigações.

Qual a melhor vitamina para abrir o apetite?

A vitamina mais indicada para idosos que querem abrir o apetite é a vitamina B1, já que ela está associada ao aumento do gasto energético e a diminuição do apetite.

Em vista disso, suplementar vitamina B1 é uma excelente maneira de corrigir a deficiência do nutriente no organismo e, por consequência, estimula a fome.

Avatar de Cristina Leroy Silva

Formada em letras pela UNICURITIBA, Cristina Leroy começou trabalhando na biblioteca da faculdade como uma das estagiárias sênior. Trabalhou como revisora numa grande editora em São Paulo, onde cuidava da parte de curadoria de obras que seriam traduzidas/escritas. A 4 Anos decidiu largar e se dedicar a escrever em seu blog e sites especializados.